Conquista: Homem é preso suspeito de matar vanzeiro

Cena-vanzeiro-morto

Segundo a Polícia Civil, reconhecido por testemunhas e pela mulher da vítima, foi preso na tarde desta segunda-feira (08)  em Vitória da Conquista por agentes da Delegacia de Homicídios e do Setor de Inteligência da 10ª Coorpin, o homem acusado de ter matado o vanzeiro Josevaldo Souza Oliveira, em dezembro do ano passado, no bairro Miro Cairo. Edson Alves da Silva tinha mandado de prisão preventiva contra ele e é acusado também de ter tentado matar outras duas pessoas na semana passada, quando gozava do benefício da saída temporária da Independência da Bahia.

De acordo com a polícia, Edson Alves da Silva, de alcunha Coroa, foi reconhecido por uma testemunha ocular do assassinato de Josevaldo, conhecido como Binho, e pela mulher deste, por quem teria passado gritando “eu matei mesmo, eu matei mesmo”.

O boletim policial informa que na época em que matou o vanzeiro, Coroa estava também usufruindo da saída temporária do final do ano. O acusado aproveitaria os saidões, como é chamado o benefício legal, para cometer crimes. Ele estava preso até o início do mês, quando saiu do Presídio Nilton Gonçalves, mais uma vez em razão do saidão. Na rua, no dia 2 de julho, ele teria tentado matar Alan Alves de Oliveira e Mateus de Jesus, que o apontaram como autor de disparos contra eles.

Os dois disseram à polícia que a motivação dos crimes foi a disputa pelo comércio de drogas no Miro Cairo, área dominada por facção criminosa.

Com a prisão hoje, Coroa será encaminhado para o Conjunto Penal e perderá o beneficio das saídas temporárias, informa boletim policial divulgado no início da noite. Ele foi indiciado em inquérito policial e teve sua prisão preventiva representada pela autoridade policial, confirmada pelo Ministério Público e decretada pelo Juiz Vara do Júri desta Comarca. Os delegados da Delegacia de Homicídios vão interrogar Edson Alves sobre os crimes dos quais ele é suspeito. Fonte: Blog de Giorlando Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *